Home arrow Personalidade
Transtornos de Personalidade PDF Print E-mail
Written by marcio rafael   
Sunday, 09 March 2008
O que é personalidade?

 

Personalidade é definida pela totalidade dos traços emocionais e de

comportamento de um indivíduo (caráter + temperamento). Pode-se

dizer que é o "jeitão" de ser da pessoa, o modo de sentir as

emoções ou o "jeitão" de agir. Em outras palavras, é o modo habitual,

estável ao longo dos anos, de receber e processar os estímulos vindos

do mundo e de devolver uma resposta (comportamento) ao meio

externo. É A FORMA DE SER, NUNCA UM ESTADO.

 

O que vem a ser um traço de personalidade?

 

Para se falar de personalidade é preciso entender o que vem a ser um traço de personalidade. O traço é um aspecto do comportamento duradouro da pessoa; é a sua tendência à sociabilidade ou ao isolamento; à desconfiança ou à confiança nos outros. Um exemplo: lavar as mãos é um hábito, a higiene é um traço, pois implica em manter-se limpo regularmente escovando os dentes, tomando banho, trocando as roupas, etc. Pode-se dizer que a higiene é um traço da personalidade de uma pessoa depois que os hábitos de limpeza se arraigaram. O comportamento final de uma pessoa é o resultado de todos os seus traços de personalidade. O que diferencia uma pessoa da outra é a amplitude e intensidade com que cada traço é vivido.

 

O que é transtorno de personalidade?

 

Um transtorno de personalidade aparece quando esses traços são muito inflexíveis e mal-ajustados, ou seja, prejudicam a adaptação do indivíduo às situações que enfrenta, causando a ele próprio, ou mais comumente aos que lhe estão próximos, sofrimento e incômodo. Geralmente esses indivíduos são pouco motivados para tratamento, uma vez que os traços de caráter pouco geram sofrimento para si mesmos, mas perturbam suas relações com outras pessoas, fazendo com que amigos e familiares aconselhem o tratamento. Geralmente aparecem no início da adolescência e tornam-se crônicos (permanecem pela vida toda). Por convenção, o diagnóstico só deve ser dado a adultos, ou no final da adolescência, pois a personalidade só está completa nessa época, na maioria das vezes. Muitas vezes, no entanto, o desajuste é notado desde a infância.

Quais são os tipos de transtornos de personalidade?

Existem muitos tipos de transtornos de personalidade. Não podemos esquecer que se trata de classificação. Esta classificação é descritiva e, muitas vezes, não bate com a realidade prática. Algumas pessoas não se encaixam perfeitamente em um modelo; outras preenchem critérios para diferentes diagnósticos (“pitadas” de diferentes transtornos). Obviamente temos que pensar nas pessoas como seres únicos e nos sintomas como parte de uma doença ou transtorno de causa única, mas ainda não completamente conhecida. Daí a falta de precisão dos nossos diagnósticos...

Transtorno de Personalidade Paranóide

Como se caracteriza?

Caracteriza-se pela tendência à desconfiança, seja de estar sendo explorado, passado para trás ou traído, mesmo que não haja motivos razoáveis para pensar assim. O sujeito vive, de certa forma, refém desses medos e dessas suspeitas, que têm uma conotação subjetiva de realidade para o paciente.  A afetividade é restrita, sendo considerado por muitos como um indivíduo frio ou distante.  A hostilidade, irritabilidade e ansiedade são sentimentos freqüentes entre os paranóide. Muitas vezes, após anos sentindo-se "passado para trás", o indivíduo pode acabar descarregando esta mágoa de forma intempestiva e violenta.

 

Aspectos essenciais

  • Excessiva sensibilidade em ser desprezado.

  • Tendência a guardar rancores recusando-se a perdoar insultos, injúrias ou injustiças cometidas.

  • Interpretações errôneas de atitudes neutras ou amistosas de outras pessoas, tendo respostas hostis ou desdenhosas. Tendência a distorcer e interpretar como maldosos os atos dos outros.

  • Combativo e obstinado senso de direitos pessoais em desproporção à situação real.

  • Repetidas suspeitas injustificadas relativas à fidelidade do parceiro conjugal.

  • Tendência a se autovalorizar excessivamente.

  • Preocupações com fofocas, intrigas e conspirações infundadas a partir dos acontecimentos circundantes.

Transtorno de Personalidade Esquizóide

Como se caracteriza?

Primariamente pela dificuldade de formar relações pessoais ou de expressar as emoções. A indiferença é o aspecto básico, assim como o isolamento e o distanciamento sociais. Diferentemente de um fóbico social, o esquizóide não sente falta do contato humano ou sofre em função deste isolamento. A fraca expressividade emocional significa que estas pessoas não se perturbam com elogios ou críticas. Aquilo que na maioria das vezes desperta prazer nas pessoas, não tem impacto, como o sucesso no trabalho, no estudo ou uma conquista afetiva (namoro).

 

Aspectos essenciais

  • Poucas ou nenhuma atividade produzem prazer.

  • Frieza emocional, afetividade distante.

  • Capacidade limitada de expressar sentimentos calorosos, ternos ou de raiva para como os outros.

  • Indiferença a elogios ou críticas.

  • Pouco interesse em ter relações sexuais.

  • Preferência quase invariável por atividades solitárias.

  • Tendência a voltar para sua vida introspectiva e fantasias pessoais.

  • Falta de amigos íntimos e do interesse de fazer tais amizades.

  • Insensibilidade a normas sociais predominantes como uma atitude respeitosa para com idosos ou àqueles que perderam uma pessoa querida recentemente.

Transtorno de Personalidade Esquizotípica

Como se caracteriza?

Caracterizam-se por serem indivíduos excêntricos e estranhos, que têm crenças bizarras, com experiências de ilusões, pensamento e discurso extravagante. Falta de amigos e muita ansiedade no convívio social. Muitas vezes têm interpretações incorretas de incidentes casuais e acontecimentos externos como se tivessem um significado particular e incomum, especificamente destinado a eles. Podem ser supersticiosos ou preocupar-se com fenômenos paranormais que estão fora das normas de sua sub-cultura. São pessoas que podem se dar bem no mundo das artes ou do misticismo.

 

Aspectos essenciais

  • Podem pensar que possuem poderes especiais de pressentir acontecimentos ou de ler os pensamentos de outras pessoas.

  • Posse de um controle mágico sobre os outros, o qual pode ser implementado diretamente (por ex., acreditar que o cônjuge está levando o cachorro para passear na rua porque ele pensou que isto deveria ser feito uma hora atrás) ou indiretamente, através do cumprimento de rituais mágicos (por ex., passar por um determinado objeto três vezes, para evitar certa conseqüência funesta).

  • Geralmente não são capazes de lidar com toda a faixa de afetos e indicadores interpessoais necessários para relacionamentos bem-sucedidos, de modo que muitas vezes parecem interagir com os outros de maneira inadequada, rígida ou constrita.

  • Interagem com os outros quando precisam, mas preferem ficar sós, por acharem que são diferentes e simplesmente não "se encaixam".

Transtorno de Personalidade Anti-Social

Como se caracteriza?

Caracteriza-se pelo padrão social de comportamento irresponsável, explorador e insensível constatado pela ausência de remorsos. Esse transtorno é o mais estudado e afeta cerca de 1% da população mundial. Essas pessoas não se ajustam às leis do Estado simplesmente por não quererem, riem-se delas, freqüentemente têm problemas legais e criminais por isso. Mesmo assim não se ajustam, pois não aprendem com os erros e experiências prévios. Freqüentemente manipulam os outros em proveito próprio, dificilmente mantêm um emprego ou um casamento por muito tempo. São predadores intra-espécie.

 

Aspectos essenciais

  • Atitude aberta de desrespeito por normas, regras e obrigações sociais de forma persistente.

  • Insensibilidade aos sentimentos alheios

  • Estabelece relacionamentos com facilidade, principalmente quando é do seu interesse, mas dificilmente é capaz de mantê-los.

  • Baixa tolerância à frustração e facilmente explode em atitudes agressivas e violentas.

  • Incapacidade de assumir a culpa do que fez de errado, ou de aprender com as punições.

  • Tendência a culpar os outros ou defender-se com raciocínios lógicos, porém improváveis.

  • Transtorno de Personalidade Emocionalmente Instável (Borderline / Limítrofe)

Como se caracteriza?

Caracteriza-se por um padrão de relacionamento emocional intenso, porém confuso e desorganizado. A instabilidade das emoções é o traço marcante deste transtorno, que se apresenta por flutuações rápidas e variações no estado de humor de um momento para outro sem justificativa real. Pode-se dizer que essas pessoas vivem um estado contínuo de "hemorragia emocional" e vazio interior. Os portadores reconhecem sua labilidade emocional, mas para tentar encobri-la justificam-nas geralmente com argumentos implausíveis. O afeto predominante é o ódio e a raiva. Seu comportamento impulsivo freqüentemente é autodestrutivo. Estes pacientes não possuem claramente uma identidade de si mesmos, com um projeto de vida ou uma escala de valores duradoura, até mesmo quanto à própria sexualidade. A instabilidade é tão intensa que acaba incomodando o próprio paciente que em dados momentos rejeita a si mesmo, por isso a insatisfação pessoal é constante. Há diversos níveis de gravidade e adaptação.

 

Aspectos essenciais

  • Padrão de relacionamento instável variando rapidamente entre ter um grande apreço por certa pessoa para logo depois desprezá-la.

  • Comportamento impulsivo principalmente quanto a gastos financeiros, sexual, abuso de substâncias psicoativas, pequenos furtos, dirigir irresponsavelmente.

  • Rápida variação das emoções, passando de um estado de irritação para angustiado e depois para depressão (não necessariamente nesta ordem).

  • Sentimento de raiva freqüente e falta de controle desses sentimentos chegando a lutas corporais.

  • Comportamento suicida ou auto-mutilante.

  • Sentimentos persistentes de vazio e tédio.

  • Dúvidas a respeito de si mesmo, de sua identidade como pessoa, de seu comportamento sexual, de sua carreira profissional.

Transtorno de Personalidade Histriônica

Como se caracteriza?

É o que antigamente já se chamou de histeria. Estudado desde os tempos de Charcot, passando por Kurt Scheider e Freud. Caracteriza-se pela tendência a ser dramático, buscar as atenções para si mesmo, ser um eterno "carente afetivo", comportamento sedutor e manipulador, exibicionista, fútil, exigente e lábil (que muda facilmente de atitude e de emoções). São personalidades imaturas que não conseguem encontrar uma maneira mais evoluída de lidar com o meio e as pessoas que as cercam.


Aspectos essenciais

  • Busca freqüentemente elogios, aprovações e reafirmações dos outros em relação ao que faz ou pensa.

  • Comportamento e aparência sedutores sexualmente, de forma inadequada.

  • Abertamente preocupada com a aparência e atratividade físicas.

  • Expressa as emoções com exagero inadequado, como ardor excessivo no trato com desconhecidos, acessos de raiva incontrolável, choro convulsivo em situações de pouco importância.

  • Sente-se desconfortável nas situações onde não é o centro das atenções.

  • Suas emoções apesar de intensamente expressadas são superficiais e mudam facilmente.

  • É imediatista, tem baixa tolerância a adiamentos e atrasos.

  • Estilo de conversa superficial e vago, tendo dificuldades de detalhar o que pensa.

Transtorno de Personalidade Narcisista

Como se caracteriza? Caracterizam-se por indivíduos que se julgam grandiosos, com necessidade de admiração e que desprezam os outros, acreditando serem especiais e explorando os outros em suas relações sociais. Eles rotineiramente superestimam suas capacidades e exageram suas realizações, freqüentemente parecendo presunçosos ou arrogantes. Eles podem presumir que os outros atribuem o mesmo valor a seus esforços e surpreender-se quando não recebem o louvor que esperam e julgam merecer.

Aspectos essenciais

  • Constantemente se preocupa com fantasias de sucesso ilimitado, poder, inteligência, beleza ou amor ideal.

  • Compara-se com vantagem sobre pessoas famosas e privilegiadas.

  • Acredita ser superior, especial ou único e espera ser reconhecido pelos outros como tal.

  • Geralmente exige admiração excessiva.

  • Carece de empatia e têm dificuldade em reconhecer os desejos, experiências subjetivas e sentimentos dos outros.

  • Freqüentemente exibe atitudes esnobes, desdenhosas ou condescendentes.

Transtorno de Personalidade Dependente

Como se caracteriza?

Caracterizam-se pelo excessivo grau de dependência e confiança nos outros. Estas pessoas precisam de outras para se apoiar emocionalmente e sentirem-se seguras. Geralmente não conseguem evoluir na vida produtiva ou afetiva: permanecem muitas vezes pueris. Permitem que os outros tomem decisões importantes a respeito de si mesmas. Sentem-se desamparadas quando sozinhas. Resignam-se e submetem-se com facilidade, chegando mesmo a tolerar maus tratos pelos outros. Quando postas em situação de comando e decisão essas pessoas não obtêm bons resultados, não superam seus limites.

 

Aspectos essenciais

  • É incapaz de tomar decisões do dia-a-dia sem uma excessiva quantidade de conselhos ou reafirmações de outras pessoas.

  • Permite que outras pessoas decidam aspectos importantes de sua vida como onde morar, que profissão exercer.

  • Submete suas próprias necessidades aos outros.

  • Evita fazer exigências ainda que em seu direito.

  • Sente-se desamparado quando sozinho, por medos infundados.

  • Medo de ser abandonado por quem possui relacionamento íntimo.

  • Facilmente é ferido por crítica ou desaprovação.

Transtorno de Personalidade Ansiosa (evitação)

Como se caracteriza?

Em poucas palavras, seria o máximo da Fobia Social. Algo tão profundo e intenso que passa a ser chamado de problema de personalidade. Caracteriza-se pelo padrão de comportamento inibido e ansioso com auto-estima baixa. É um sujeito hipersensível a críticas e rejeições, apreensivo e desconfiado, com dificuldades sociais. É tímido e sente-se desconfortável em ambientes sociais. Tem medos infundados de agir tolamente perante os outros. No entanto, os sintomas causam sofrimento: o paciente anseia pelo contato social.

 

Aspectos essenciais

  • *É facilmente ferido por críticas e desaprovações.

  • Não costuma ter amigos íntimos além dos parentes mais próximos.

  • Só aceita um relacionamento quando tem certeza de que é querido.

  • Evita atividades sociais ou profissionais onde o contato com outras pessoas seja intenso, mesmo que venha a ter benefícios com isso.

  • Experimenta sentimentos de tensão e apreensão enquanto estiver exposto socialmente.

  • Exagera nas dificuldades, nos perigos envolvidos em atividades comuns, porém fora de sua rotina. Por exemplo, cancela encontros sociais porque acha que antes de chegar lá já estará muito cansado.

 

Transtorno de Personalidade Obsessiva (anancástica)

Como se caracteriza?

Tendência ao perfeccionismo, comportamento rigoroso e disciplinado consigo e exigente com os outros. Emocionalmente frio. É uma pessoa formal, intelectualizada, detalhista. Essas pessoas tendem a ser devotadas ao trabalho em detrimento da família e amigos, com quem costuma ser reservado, dominador e inflexível. Dificilmente está satisfeito com seu próprio desempenho, achando que deve melhorar sempre mais. Seu perfeccionismo o faz uma pessoa indecisa e cheia de dúvidas.


Aspectos essenciais

  • O perfeccionismo pode atrapalhar no cumprimento das tarefas, porque muitas vezes o sujeito se detém nos detalhes enquanto atrasa o essencial.

  • Insistência em que as pessoas façam as coisas a seu modo ou querer fazer tudo por achar que os outros farão errado.

  • Excessiva devoção ao trabalho em detrimento das atividades de lazer.

  • Expressividade afetiva fria.

  • Comportamento rígido (não se acomoda ao comportamento dos outros) e insistência irracional (teimosia).

  • Excessivo apego a normas sociais em ocasiões de formalidade.

  • Relutância em desfazer-se de objetos por achar que serão úteis algum dia (mesmo sem valor sentimental)

  • Indecisão prejudicando seu próprio trabalho ou estudo.

  • Excessivamente consciencioso e escrupuloso em relação às normas sociais.

 

A PSICOTATIA

Image
Hannibal Lecter
Image
Chico Picadinho
Image
Chico das chagas - matou 41 garotos no MA

Acima: Dr. Hannibal Lecter, um exemplo de psicopata da ficção, ao lado de dois bons exemplos nacionais; O famoso Chico Picadinho e Fancisco das Chagas, maranhence que emasculou e matou cerca de 40 garotos.

Deixando de lado o significado popular que o termo psicopata adquiriu, em medicina, seguindo o modelo canadense do Prof. Robert Hare, psicopatia quer dizer o grau máximo de transtorno da personalidade. No plano de relacionamentos interpessoais, o psicopata é orgulhoso, arrogante, frio, dominante, superficial e manipulador. Afetivamente são irritáveis, sem capacidade de formar vínculos emocionais com outras pessoas, não têm capacidade de empatia, culpa ou remorso. Em uma metáfora sobre seu afeto, “eles conhecem a letra, mas não a música”. Estes defeitos têm reflexos na interação social, que se torna desviada dos padrões éticos e morais vigentes (não necessariamente somente atividade criminal). São irresponsáveis, impulsivos, não aprendem com os erros e repetidamente violam ou ignoram padrões de conduta socialmente adaptados.

As causas destes transtornos geralmente são múltiplas. Há um componente genético, herdado dos pais (tendência). Essa tendência desenvolve-se de acordo com os desencadeantes do ambiente onde se vive (vivências infantis e as da adolescência do indivíduo).

O tratamento desses transtornos é bastante difícil e igualmente demorado, pois em se tratando de mudanças de caráter, o indivíduo terá de mudar o seu próprio "jeito de ser" para que o tratamento seja efetivo. Estamos falando de anos. Baseia-se na psicoterapia e medicação, de forma geral. Algumas vezes, pedrinho matadordetalhe - tatuagem de Pedrinhodeve-se também tratar outros transtornos que se desenvolvem juntamente com esses, e na maioria das vezes, por causa desses. Aparece comumente depressão e ansiedade associadas a esses transtornos. A procura pelo atendimento é geralmente estimulada pelos amigos e familiares, que são muito mais incomodados pelo transtorno que o próprio indivíduo. Grandes expectativa de mudanças milagrosas e rápidas são geralmente frustradas, infelizmente. A melhora é lenta e gradual e, nos casos mais graves, como na psicopatia, pode não ocorrer.

Abaixo,  dois famosos psicopatas americanos - Charles Manson e Ted Bundy (para maiores informações sobre os casos, consulte www.crimelibrary.com):

Image
Manson
Image
Manson
Image
Ted Bundy e vítimas
  

 

Autor: Dr. Thiago Castelo Branco

Supervisão: Dr. Rafael Bernardon Ribeiro e Dr. Fábio José Beites

Last Updated ( Monday, 27 October 2008 )